quarta-feira, 12 de novembro de 2008

a ele, o ultimo

Há tempos as coisas não saem dos eixos, há tempos eu quero me perder e há tempos escrevo pra tirar de mim toda essa droga de sentimentalismo barato. Há tempos me divirto as minhas custas, imaginando o dia em que toda essa minha solidão deixará de ter graça, há tempos ela vem sem graça. Desgraça há tempos. Eu insisto, eu persisto e me recuso a mudar de erro, erro a dose no amor faz tempo e acho que me acostumei com o excesso que me nego a mudar a direção. Há tempos minhas palavras são tristes e meus sentimentos exóticos, há tempos sou acompanhada por essa loucura solitária, há tempos corro de encontro a mim. Te encontro em outras bocas, te sinto em outros perfumes, frascos bonitos, lírios que eu nunca olhei. Te vejo correr por entre corpos, te vejo passar de boca em boca, lixo em lixo, apenas o corpo, a carne, nada além de uma dose a mais. E eu sempre erro na dose. Há tempos. Há tempos procuro o equilíbrio e eu nunca o encontrei. Deve estar perdido por aí, junto com aquele sorriso o qual eu sempre menciono. O sorriso mais bonito sabe? Então, o perdi ontem, no susto, como um tiro no meio da noite. Apenas se foi, pra sempre, voltou ao seu lugar de origem. E por mim tudo bem, afinal ele nunca me pertenceu mesmo.
O dono? Ah,


(sabia que um dia iria me cansar.o dia chegou.)

8 comentários:

afobório disse...

"Há tempos minhas palavras são tristes e meus sentimentos exóticos, há tempos sou acompanhada por essa loucura solitária, há tempos corro de encontro a mim."

achei sensacional.


e venha buscar o seu selo.


sorte e luz.

Carioca disse...

vc tem um jeito mto charmoso de escrever. eu tb vou linkar o seu!

s2 Raah s2 disse...

Quantos beijos teremos de experimentar até encontrarmos aquele, que ira fazer com que nosso coração esqueça daquele sorriso?
Não sei...espero que eu encontre logo...e você também, só cansar, não apaga a chama.
Infelismente.
Saiba que não sou só eu que me inspiro em suas palavras, creio, que muitas outras pessoas também.
Parabens novamente, sempre!
Bjuundah

naosouemo.blogspot.com

Livia Queiroz disse...

Aaaaaaaaah às vezes a gente cansa mesmo!
E quando bate o cansaço é sinal de que a alma está pronta... apta à mudança.

Fernando Pessoa traduziu isso de maneira singular:

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

Às vezes sentimos as "roupas" desgastadas,e então é hora de trocar, se arriscar, tentar de novo e de maneira diferente...

Mas oh, o exagero na dose do amor traz efeitos colaterais. Cuidado com a Overdose! rsrsrs

Bjaum adorei o post
e brigada pelo comentário que deixou lá no blog

CARLA ROCHA disse...

Loucura solitária? Tenha a certeza: você não estásó! Muito bom mesmo! Parabéns!

Flávia Lago disse...

Gostei das outras bocas, dos outros perfumes...
Já vi quem eu não queria ver nesse lugar...aliás via em tudo...era os malditos elos que ainda faziam questão (e fazem) de trazê-lo pra mim mesmo quendo eu nem lembro de lembrar na existência de um sentimento tão impertinente e indelizmente não descartável...;/
Adorei o texto!

beijO

Gaby Soncini disse...

Tem um momentos que sempre levantamos a voz e gritamos basta,esse é o grito primordial para a mudança.

Acho muito bacana o jeito que você escreve,envolve as pessoas em situações bem comuns,sem sentimentos bem profundos.

Parabéns !!!

Grande beijo.

Jana disse...

Equilíbrio?
O que é isso?
É de comer?

:)