sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Fuga

Era madrugada, uma quarta-feira, outono talvez. Ela estava embaixo das cobertas, escondendo seu rosto como se ali ela deixasse de ser ela, como se por descuido a vida esquecesse aquela existência apenas por estar escondida. A cabeça latejando de tanto pensar, pensava sem querer, por impulso. Um pensamento puxava o outro e a cada segundo ela se afundava mais naquela cama solitária. A ânsia de esquecer só a fazia lembrar e por repetição ela começou a fazer o que mais fizera durante a vida: desculpar-se.
Desculpou-se por sentir, por pensar, por querer e principalmente por ser. Se ela pudesse ela não seria. Não pode, nunca pôde e se desculpou também por não poder.
O choro veio pra quebrar o silêncio do quarto vazio, as lagrimas molharam o travesseiro e ela agradeceu por estar sozinha. Pelo menos não precisaria se explicar, não agora. As mãos já lhe tapavam o rosto e ela voltou a se desculpar pelo drama.
E então Marina revolveu dormir, afinal não tinha desculpa plausível pra perder uma noite de sono.

8 comentários:

Inquilino do Sublime disse...

dormir...sonhar e conquistar ;)

Marco Rebelo disse...

bom texto :)

MahH disse...

Minha cara, Meu nome.

HDUSAHUDHSUADHUSAHDUSAHUDH

Porque às vezes dormir é bem melhor do que enfrentar probleminhas que insistem em nos perturbar.
Ficou MARA, Mih.

Passa no meu (Y)

Flávia Lago disse...

Eu sempre me desculpava também...mas isso só ocorria depois de muita culpa e noites e noites de insônia.
Aí eu cresci e vi que sou passível de erros como qualquer outra pessoa...
Desde esse dia a minha vida mudou um monte!

Um beijo, flor!

meus instantes e momentos disse...

Quem me dera que numa falta de sono em tristeza. Eu " resolvesse" simplesmente dormir, como Marina fez.
Apareça.
Maurizio

s2 Raah s2 disse...

Nossa, descreveu minhas noites de angústia?
Sim, descreveu!
ahioehaioehioahio'

Parabens pelo texto!
Bjuundah

naosouemo.blogspot.com

Jana disse...

Não se desculpe tanto, não!


:)

Luiz Calcagno disse...

Como diria Raul, nunca se vence uma guerra lutando sozinho... Conhecve essa música? Tem tudo a ver com o texto. Chama Por quem os sinos dobram. Lá ele diz "convence as paredes do quarto e dorme tranquilo, sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo"... É isso aí. Beijo