quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Sinceridade Desarmada

Como eu já disse algumas vezes, crescer estragou minha saúde e de uns tempos pra ca – ou algumas horas, não sei – venho percebendo que também está acabando com o meu coração. Na verdade eu já não o sinto por completo, sei que em alguma parte em mim ele se esconde, mas ta difícil achar o lugar. Cresci, infelizmente, e aquela garotinha de cinco anos que fazia birra quando não tinha o que queria, hoje – só hoje – com dezoito anos, descobriu que fazer birra não resolve nada quando o jogo é entre você e o mundo. Tarde demais? Dezoito anos perdidos? Talvez...
Eu realmente só queria querer, só querer, e eu não quero. Tenho meus sonhos, meus planos, mas não quero de verdade, sabe? É confuso demais pra mim.
Já tive vontade de sair por ai cantando, de pintar meu cabelo de cores inusitadas, de beijar todo mundo, de acabar com um coração, de gritar, e fiz tudo. Isso me encorajou por um tempo, me encorajou até hoje. Hoje. Um dia no qual mudou muita coisa. Parei pra pensar em tudo que tive vontade e não fiz, não por mim, mas pelos outros. E caí na real, nem tudo depende de mim e isso me assusta me assusta de um jeito desigual, de um jeito novo. Assusta-me pensar que eu não posso pegar o telefone e te ligar agora, pensar que eu não posso segurar sua mão e sair por aí feliz somente porque eu quero. Assusta-me saber que vou sempre beijar mil bocas pensando em você.
Tenho medo. Porque há dezoito anos venho tentando me convencer de que eu não preciso disso, venho tentando acreditar que a minha liberdade é primordial, tentando acreditar que eu não quero. E eu quero só que tenho medo. É complicado me pegar imaginando o que poderia acontecer me pegar pensando em nós, sou complicado demais, eu não me dou espaço, não me deixo sentir. Prefiro manter as aparências e esquecer que um dia isso pode dar certo. Acho que preciso esquecer essa conversa de que serei somente eu e Deus até o final. Acho que preciso esquecer. Esquecimento é essa a palavra certa agora. Ou seria covardia?
Só sei que as coisas mudaram por aqui, hoje sinto necessidade de algo a mais, mesmo não me permitindo eu preciso de você.
Façam suas apostas, vamos ver quem ganha a grande batalha. Meu ego ou esse coração idiota que nem bate só apanha (piadinha escrota, ok? Rs)
Cansei de trégua, agora a batalha vai até o fim. E eu ficaria feliz se ao final disso tudo eu olhasse pro lado e encontrasse você.


--------------------------------------------------------------------------
Selo

Fui presenteada pela querida Julianna do blog Julie.in.wonderland, que é lindo por sinal. Thanks, Gatz, bom saber que alguém curte o blog dessa Arlequim - ou Alecrim - aqui. rs
Repassando para:
Julie.in.wonderland[não sei se pode, mas eu quero!]

10 comentários:

s2 Raah s2 disse...

"...esse coração idiota que nem bate só apanha"

euri*

Sinseridade desarmada, assim como você já disse em alguns posts meus, as vezes, é bom!
Boa sorte na sua batalha!
E parabens pelo selo!
Bjuundah

naosouemo.blogspot.com

CaHanson disse...

crescer dói, dói e muito , em todos os sentidos.. coração, a alma, o corpo, é florida.. x_x

buuuuuut..
=D é pra isso q existe blog. certo? ;~

aamei o texto.
kisskiss

Jana disse...

Sobre o selo:
Querida minha!
Súper-adorei.

Sobre o texto:
Sinceramente?
Manter as aparências não está com nada.
E é importante - muito importante -beber do vinagre e do vinho então: se joga.
É a minha dica.

Beijinho lindeza

Adriano Queiroz disse...

Vc vai esquecê-lo.
Isto passa e o melhor ainda vai rir de ter querido tanto.
Mas se ele voltar, tomara que valha a pena.
Estou com a Jana: Se joga!

Abraços.

eliane disse...

Ainda bem, Arlequim, que uma das máximas divinas é que, mesmo que não queiramos ou achemos que não vai passar, as dores e as alegrias esfumaçam com o tempo.
As dores deixam recomendações para que aprendamos a viver melhor (se quisermos).
As alegrias deixam saudade.
E a vida continua, sempre com pratos novos, com temperos diferentes.
Um carinho via internet para você.
Abraço

Marcio Sarge disse...

Oi anjo!

Crescer não é fácil pra ninguém, amar mais ainda.
Tudo que se quer com afinco provoca medo e nunca, mas nunca mesmo será somente você e Deus.
Toda dor fortalece, há aqueles que sucumbe a dor e há aqueles que trava a batalha.
Acredito em você com sendo do segundo pelotão.

Beijos anjo.

E obrigado pelo presente.

Gabriel disse...

Adorei o título. "Mara!"

Finalmente prestou uma homenagem ao Rubens Paiva [XisDê]

Crescer é legal. Ou não...

Livia Nygaard disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Coruja Má disse...

Crescer é complicado, a gente só aprende com o tempo!
Mas um dia, daqui alguns anos você verá como tudo isso foi valido para seu crescimento, a formação do seu carater.....
Nao sou tao mais velha, mas já passei por isso......
adorei o texto

Jóta disse...

A vida é reciclável ::..

Bju no coração