quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Sobre o homem da minha vida

por Carolina


Não; eu não estava procurando o homem da minha vida. Não foi por isso que eu deixei tudo para trás e troquei as fechaduras e alguns números necessários. Eu não pensei, em momento algum, em me afastar de tudo para viver um novo, e belo, amor-água-com-açucar-digno-de-sessão-da-tarde. Eu não saí em busca de nada e nem caçando homens por aí, como uma loba selvagem. Não listei os mais interessantes e cultos e canalhas. Esses são os meus favoritos: interessante, culto e canalha.

Aquele amigo que beija bem adora inglês e lê bons livros ou aquele professor de história que todo mundo diz que faz atrocidades na cama: os melhores.

Aqueles que têm tudo para dar certo e que, exatamente por isso, não dão. E você é tão ciente que sabe que vai ceder e que vai rolar, por pura sacanagem, e os telefones não vão tocar no dia seguinte.

Tudo bem, o beijo é bom, o sexo idem. Todo mundo cult, todo mundo zen, todo mundo satisfeito depois do orgasmo.

O Homem da minha vida não existe, é isso que eu preciso te dizer. Porque o homem da sua vida também não existe, e nem o homem da vida da sua vizinha. Pode acreditar.

Há milhões de homens por aí, há milhares de encontros por dia, troca de olhares, telefones trocados, flerte na internet... E você vem dizer sobre O homem da sua vida?

É quase um absurdo.

O problema é que eu cansei dos homens da minha vida.

Cansei de atender ao telefone, cansei de dar explicações e ter de dizer que eu prefiro o serzinho-um ao invés do serzinho-dois. Cansei de dar sempre um sorrisinho de compreensão após aquela conversa chata em que ele se safa e eu me fodo. Eles sempre me fodem; e não há orgasmo algum.

É um porre!

E depois vêm me dizer que eu bebo demais e que eu deveria parar de fumar e que não me entendem e que eu sou estranha. Eu sou é bacana demais; e com os três. Outras, no meu lugar, desligariam o telefone, não passariam noites em claro e jamais, eu disse jamais, aceitariam certas coisas, tão ralas e gastas, como eu aceito.

Sumir: é essa a solução para quando as histórias se atropelam, não é? Sumir. Desaparecer.

Aconselhei-me: Suma, Carolina, suma, desapareça!

Poxa, quando o telefone começa a tocar demais e você já não sabe o que dizer ou gagueja ou se preocupa ou, então, faz as três coisas ao mesmo tempo, é sinal de que acabou. Você não serve mais para o negocio. A sua idéia de juntar três pessoas para montar um amorzinho perfeito foi patética.

Nossa! Como eu odeio usar a palavra "perfeito", deve ser porque eu sei que não existe. O pior é que eu sabia, mas parece que a cada dia fico mais burra, mais patética.

Patética, sim, tem tudo a ver comigo.

E foi então que a CarolinaPatética resolveu sumir. Troquei algumas fechaduras e o número de telefone. Coloquei meus óculos escuros e, quando saí de casa, lá estava ele parado no portão. Pra quê? Por quê? Eu não sei. Eu não sei, mas eu gostei e o beijei como quem diz, sem dizer, que ele era o meu favorito - talvez nem fosse, mas no momento era - e que se eu fosse sumir queria que ele sumisse comigo e eu disse, dessa vez dizendo mesmo, que eu gostava dele e que senti falta daquele beijo - nem sei se eu fui sincera, talvez tenha sido sincera demais.

Mas não, eu não estava procurando o homem da minha vida, e talvez esse tenha sido o grande problema. Ele me achou, saindo de casa, e eu me deixei ser achada por ele que eu adorava tanto - talvez mais que os outros.

Sorri e tive a certeza de que ele era o meu homem.

Não sei se da vida, se da semana, do ano, do mês... Mas o meu homem.

Era ele quem eu queria, era a imperfeição mais bacana que eu já conheci. E tudo isso por que ele estava lá fora me esperando?

É, Carolina, você se contenta com pouco, merece mesmo se foder.

Talvez eu até mereça.

Talvez eu até goste um pouco.

Eu sei quem eu quero; e se for pra foder que, ao menos, haja orgasmos múltiplos.

4 comentários:

NiNah disse...

Porque os múltiplos que valem a pena.
Gostei tanto da Carol porque ela sabe das coisas...
Bjo

Rhaissa disse...

Adorei :D
Até postei um trecho no twitter com link pra cá xD
Muito bom.

EmileJ disse...

ADOREEEEEEEEEEEEEEI ESSE TEXTO...
essa CAROL leva jeito :D

Blog Teste disse...

Me identifico muito com a CarolinaPatética. Acho q sou a PatéticaLu. Adorei o texto, parabéns!