quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Quebra-cabeça

Juntei meu rosto. Tentei montar um quebra-cabeça de mim mesma, tentei colocar as peças nos devidos lugares, um trabalho aparentemente fácil. É fácil. Realmente é muito fácil quando nada está em falta, quando temos todas as peças necessárias. Eu não tinha. Eu não tenho. A mim falta a peça principal, a do meio. E por mais que eu procure em todos os lugares eu não a encontro, às vezes penso que ela foge ou então que ela nunca existiu. Há tempos não me sinto inteira, há tempos não moro dentro de mim e há tempos não vejo você. Não me vejo em você há tempos. Por me perder eu te perdi e isso me custou uma peça, a principal, a do meio. Peça que mudaria tudo, que acabaria de vez com nossas reticências nos deixando apenas um ponto, o final. Sem escolhas, sem erros ou promessas, apenas nossa única saída. O fim. Ou então o começo. Honestamente eu não gosto de começos, tudo sempre começa bem, sempre com uma aparente felicidade e quando você se da conta está recolhendo seus cacos, no chão, tentando montar um quebra-cabeça que sempre estará incompleto. Você levou minha peça principal, justamente a do meio, aquela que daria sentido a tudo, ainda mais agora que as coisas não fazem sentido algum. Não pra mim. Não sem você. Uma peça, apenas um pedacinho de um quebra-cabeça humano, apenas um pedacinho de mim, uma parte minha que você levou. A peça é minha, e eu decido as coisas por aqui. A partir de agora quem escreve essa história sou eu, apenas eu e mais ninguém.
Juntei meu rosto, junto com as migalhas de esperança quase morta. Completa. Eu estou completa. E já é possível te ter entre meus dedos, te arrancar de minha vida, assim, com um sopro.

10 comentários:

Jóta disse...

Mude as peças...

Bju no coração

Galera do Padê disse...

vai se Fude camilakkk

s2 Raah s2 disse...

Crie sua propria peça!

eu vou criar uma pra mim! ;)

naosouemo.blogspot.com

Jana disse...

Muito, muito bom.
Me lembrou uma música do Raul Seixas que diz:
"Eu vivo procurando em tudo quanto é lugar, nos bares, nas igrejas, eu tentei encontrar. Nos becos, nas esquinas; na lama e no pó. Até no bolso do meu palitó".

Mas não acho que esta peça esteja perdida, ou roubada.
Ele deve estar mais perto do que você imagina.

Beijoca querida.

Gaby Soncini disse...

Adorei o texto.

Realemente sempre estamos tentando encontrar uma peça,sempre tentando encontrar algo dentro de nós mesmos.

Bjs.

RaaH Ivie disse...

'E por mais que eu procure em todos os lugares eu não a encontro, às vezes penso que ela foge ou então que ela nunca existiu.'
Adorei. Parabéns.
Aliás seu blog é muito bom, belos textos :*

Marcio Sarge disse...

As peças que mais importantes estão sempre em mutação, nada foi arrancado só foi dado espaço pra algo melhor.

Beijos

Jéssica disse...

Linda, teu texto tá cheio de verdades, como sempre.
adoro isso em vc.

ps: postei o selo.
ps²:percebi que não te tenho linkada aqui...
posso fazer isso?
beijão

mateusbonez disse...

oun, perfeitinho c.c
Lindo , lindo e lindo :D

Bom domingo, beijos :D
http://tiomah.blogspot.com/

Luiz Calcagno disse...

Ela podia desenhar a peça que falta, e decidir totalmente o significado. Seria bonito. Para viver é preciso perder a vida.