quinta-feira, 1 de abril de 2010

sexta-feira, 2

"Não muito confuso, assim confrontado com sua explícita incapacidade de lidar com. A palavra não vinha. Podia fazer mil coisas a seguir. Mas dentro de qualquer ação, dentes arreganhados, restaria aquela sua profunda incapacidade de lidar com. Um instante antes de bater outra, colocar uma velha Billie Holiday e sentar na máquina para escrever, ainda pensou: gosto tanto de você, baby. Só que os escritores são seres muito cruéis, estão sempre matando a vida à procura de histórias. Você me ama pelo que me mata. E se apunhalo é porque é para você, para você que escrevo — e não entende nada."

Caio F.

3 comentários:

Amanda disse...

eu queria que ele soubesse que ele pra ele que escrevo.
mas eles (os inspiradores) nunca sabem.
ou fingem não saber.

Aninha disse...

Eles nunca sabem, MESMO neh???
Ou são ótimos fingidores....

Ahh...Line. disse...

Caio... quanto tempo não o via por aqui... beijos!