domingo, 15 de fevereiro de 2009

Sexta-feira, 13

E quando é a vez de passar a bola ela vem para mim; ela está comigo, presa, entalada na minha garganta. Impede as palavras de saírem e, por vezes, não deixa o ar entrar. Meu corpo pede, grita, reclama. Quer dizer tudo sem ter nada a dizer, precisa dizer, falar, e então escreve. As vozes ecoam em minha mente e o meu silencio grita de um jeito assustadoramente medonho; o medo surgiu aqui dentro e eu ainda não entendi qual parte de mim ele quer assustar. Estou assustada e com a cabeça em uma sexta qualquer, uma boca qualquer, um beijo qualquer. Muita gente, muita música, vodca e, aquele que há muito me acompanha; combinação arriscada demais pra uma noite em que tudo o que eu queria era estar em casa dormindo, não estava. Esperei por um ano, durou três minutos e vejo que o arrependimento irá me roubar alguns meses.
Talvez esse seja o sábado mais longo de nossas vidas; talvez a chuva lá fora seja a prova de que o céu chora por nós; talvez aquilo que deveria nos unir, separe nossas vidas, pra sempre.

12 comentários:

marvin . disse...

a sexta foi treze mesmo. foi tanto que não me lembro de como realmente foi. só retalhos, retalhos.

isso aí Mi, continua daí que eu vou tentando daqui. ando com uma puta preguiça de postar no blog e de deixá-lo decente, mas uma hora eu faço.

aparece lá as vezes. vou adiciona-la na listinha de relevancias.

beijo.

Luiz Calcagno disse...

Oi... Tudo bem? As vezes a vida é igual uma brincadeira de batata quente, não é mesmo? Só que de uma forma um pouco mais melancólica. Espero não ter falado besteira. Depois de muito trabalho e bloqueio, estou de volta. Se cuida. Abraço

Amanda disse...

Eu sempre me pego com os olhos cheios de lágrimas e o coração apertado quando leio suas coisas.. definitivamente você sabe se expressar e eu admiro MUITO isso xD

Roberta Albano disse...

eu não acho que alguma forma de desejo deve causar arreprendimentos posteriores
Mas lembranças são sempre bem vindas, até pq, as coisas que te fazem sofrer geralmente partem de momentos mais intensos

Wagner Kaiowas disse...

Caralho, Arlequim!
O texto chega a causar falta de ar.
Certa vez, ouvi a seguinte frase numa canção: "Um adeus nunca é pra sempre quando se anseia por um novo encontro". Mas mesmo que não se queira, o mundo não é tão grande e a vida não é tão curta quanto parece.
A foto ao lado ficou bem legual.
Obrigado por visitar o "Ecos do Meu SilÊncio..."
Beijão e tenha uma ótima semana.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sim, você escreve muito bem. Mas cuidado com a vodka ou qualquer bebida alcoólica: o álcool envelhece a pele, e, por dentro, deteriora os órgãos de maneira irreversível.

=D
Marcos

Marcio Sarge disse...

Que ótima narração sobre uma importante passagem da vida de qualquer garota e garoto pq nao :)

Apesar da vodca e todo o restante da combinação, espero do fundo do coração que não haja arrependimento, meu anjo. De verdade.

Beijos, coração.

B. disse...

Sexta-feira 13 dá até arrepio.

Que o arrependimento logo se vá!
pois isso pode lhe prender,e não deixar ver que
a chuva acabou (Y)

Malu Paixão disse...

"talvez a chuva lá fora seja a prova de que o céu chora por nós"... putz.. que lindo! digno de livros de frases famosas! rss

nem precisei mandar seu beijo à minha mãe. Ela leu pessoalmente todos os recados, até msm antes de mim! rsss

mtíssimo obrigada pelo comentário, deixou, não só a mim, mt feliz, mas tbm a minha mãe!
bjaum amigaa.. tenha uma linda semana!

Malu Paixão disse...

não sei se vc leu.. talvez nem imagine... mas os comentarios realmente ajudaram minha mãe!
Mto obrigada por tudo.. é dessa atenção que precisávamos!
se antes eu ja te chamava de 'amiga', tenha certeza q agora é mais sincera ainda a força da palavra!!
bjoss

Andréia disse...

nossa.. que fim!

beijokas

Dany disse...

Toda com cara d "sou retardada mesmo" na foto!
suahsauhsahsah
bjo Minha minhoca*-*