domingo, 25 de janeiro de 2009

Viu, eu tive que explicar


Postagem anterior foi removida por motivos maiores; nascimento, morte, ressurreição.

Não queria me explicar, ainda não quero, mas vim contrariar meu querer por um querer que não é meu e é ao mesmo tempo. Confusão interna foi deixada de lado e acho que a externa vai atormentar vocês um pouco.
Sinto muito.


Assistindo uma entrevista de Clarice Lispector em que ela explica sobre o texto Mineirinho, bandido que foi massacrado pela policia com 13 tiros, com total indignação ela diz: “Qualquer que tivesse sido o crime dele, uma bala bastava. O resto era vontade de matar."


Ontem eu o matei com o primeiro tiro e ainda assim dei tiros desnecessários, deixei a vontade de matar me invadir.
Mas eu não sou assim, não sou e não quero ser.
Essa é a explicação que me cabe, sem mais e, dessa vez, sem muito também.

Um texto meu foi publicado no E-Blogue, passem por lá, o lugar é bem bacana :]

12 comentários:

Roberta Albano disse...

Você não é nada ruim por ter se deixado levar por algum sentimento fora do controle. Acho que isso não significa que você seja alguém que você não quer ser ou alguma coisa assim.
É tudo questão de sentimentos a flor da pele, e isso é bom. Sentir com sensibilidade é sempre bom.
Eu vim aqui de manhã e vi que tinha texto, mas eu não tinha tempo de ler. Quando voltei não tinha
Fiquei confusa, tudo bem
mas ta tudo certo ;)

mateusbonez disse...

Sentimentos estranhos e mutuos sempre passam pela nossa fragil e torrida mente. Não se reprima, expresse sua liberdade e que se fodam os demais. Não desperdice balas fora querida, pois vs vai precisar pra coisas muito, mas muito mais importantes (flora ON HAHA)
KSOASKAOSAK. Adoro vs e seu blog é uma fonte de inspiração pra mim. Beijão e apareça ;D

http://tiomah.blogspot.com/

Jóta disse...

Mais um prêmio pra ti moça...

http://umserassim.blogspot.com/
Abraços

Amanda disse...

Eu sei como é ser tomada pela sede de matar.
Ultimamente eu tenho conseguido me controlar e evitado esse tipo de coisa, mas já dei tiros desnecessários também. E isso não é legal... ><'

Mayana Carvalho.♥ disse...

Uma batalha interna, onde sentimentos e razões conflitam a todo tempo. A sede de matar e razão do que é certo fazer. [controle]

Beijos

Maíra Souto Maior disse...

A sede de matar faz surgir idéias que nunca estariam ali. É um sentimento terrível e incontrolável. Bom, o importante é que passou, não fique se martirizando porque disse coisas que não queria.

Abraços! Boa semana!

Adriano Queiroz disse...

Clarice é fods.
Vou lá ler.

Abraços.

Neo disse...

Olá...

Passando pra conhecer, vide indicação da R. Albano, amiga de blogagens...

beijo


Neo

.Dazinha. disse...

Vi que colocaram um texto seu por lá, meu também colocaram, e agora também estou participando ativamente,rs. Vou ler logo em seguida o texto e comentar por lá.

Clarice é explendida, e sim, nos temos o costume de metralhar desesperadamente apenas no intuito de aliviar alguma coisa que não alivia de jeito nenhum,rs.


Beijao linda

.Dazinha. disse...

AH! adoro Beirut! haha

B. disse...

Adoro Clarice lispector...
Sim ,é verdade um tiro bastva,mas o gatilho é rapido e como nossas palavras também ele é apertado sem um pause.

to indo lá ver...Uhuuu,Tá ficando famosa,hein!

Malu Paixão disse...

Oi camilaa... vim só te avisar que deixei um selo pra vc em meu blog, e que em meu outro blog (lua-do-antiquario.blogspot) postei algo sobre meus blogueiros amigos, vale a pena vc dar uma olhada. =D
já falei que adoro elephant gun? rsrs
bjoss