quarta-feira, 5 de maio de 2010

madrugada

São 02h19min da manhã e dentro de mim explodem fachos de coisas que eu não posso controlar e nem nomear. 02h19min de uma quarta-feira que provavelmente nascerá cinza, mesmo se houver sol e esse sol for amarelo e quente. Os meus olhos se encontram cinza. há muito eu tento os controlar para não deixar meu jogo ser entregue, mas foi tudo em vão. Há muito muitas coisas vêm acontecendo. Há muito eu já nem sei quem sou. Mas hoje, justamente hoje, quase agora, 02h15min provavelmente, eu descobri que o espelho vive a me enganar e que por mais que eu grite com ele meu monólogo eterno jamais passará a ser dialogo.

Os monólogos me perseguem.

Mesmo rodeada de pessoas eu vivo falando sozinha.

Acabei de descobrir que por menos angustiante que seja a minha situação, fumar um cigarro já não alivia. Não consigo consumir metade daquela fumaça que outrora me nutriu. Descobri que eu sempre vou ter muito que falar e, por isso mesmo, vou permanecer calada até o fim. Vou me magoar e continuar dizendo que está tudo bem, que eu não ligo não me importo; e no fundo pode ser que esteja realmente tudo bem, porque ás vezes deixar tudo bem dói um pouquinho, não é?Eu entendo. Até aceito sem reclamar. Quando reclamo me sinto acuada e envergonhada, parece que eu tenho o dom de nunca ter razão.

Mas hoje, não. Hoje eu só quero não pensar em nada e esquecer o que vem me machucando e confundindo. Quero não pensar na dor da ausência e no caos da presença. Eu juro, jamais quis que tudo fosse assim. Talvez eu tenha o dom de me importar com a pessoa errada. Mas eu queria, um pouco que fosse, que se importasse comigo e que entendesse que eu preciso de atenção e carinho e entendimento. Eu tenho mais sentimentos do que demonstro ter; e tenho medo de um dia não saber demonstrar sentimento algum. Eu gosto tanto dos momentos que são nossos. De como segura a minha mão e diz que sou boba e que não devo me preocupar com as pequenas coisas. Gosto das palavras direcionadas a mim. E não me importei quando me disse "me ame se quiser, mas eu não vou amar você”. Não penso em amar ninguém. Não sei amar ninguém.

Mas não gosto de envolvimentos pela metade. É um problema ser extremista.

Mas hoje, não. Hoje eu estou triste, tão triste que não sei como agir diante a tanto descaso. Não, eu não reclamo. Tento aceitar o que é me dado sem exigir nada além do que ela pode me dar. Só me sinto destroçada quando ela exibe tudo o que é capaz de fazer e sentir e não me dá uma migalha sequer disso tudo. Mas eu não digo nada. Não posso, e não quero cobrar nada de alguém que nem sequer é minha por inteiro.

Eu não tenho ninguém. Eu não sou de ninguém.

São 02h41min e os fachos ainda me cortam. Vejo as pessoas que a amam e exibem seus amores concretos e perfeitos enquanto eu nem sei o que amar significa. Contribuo apenas com o meu sentimento ralo, feio e quase inadequado. Um sentimentozinho insignificante, eu sei, e ela se importa com a pequenez. Cobra tudo. Exige atenção e carinho e presença enquanto me dá as costas e me deixa no frio sem se despedir.

Mas hoje, não. Hoje eu só estou triste, e não quero compartilhar da minha tristeza para fazê-la triste também. Quero que ela me faça feliz, que me mostre que estou errada e que ela se importa e que eu sou realmente uma boba. Mas é muito difícil quando se vive num monologo. Eu posso ser triste, feliz ou indiferente que ela vai continuar irredutível e imóvel na sua redoma de vidro. Eu posso gritar e chorar e pedir que me salve... Mas ela sempre terá razão ao dizer que eu não tenho razão alguma. E eu não tenho, por isso permaneço calada. Desanimada. Triste. Desgastada. Parece que está morto o que eu nem vi nascer. Eu tento ressuscitá-lo com a esperança de que ele renasça belo, mas a cada dia a sinto mais distante e a esperança sempre morre por aqui.

Mas hoje, não. Hoje é quarta-feira e eu estou triste. Estou apática e quase morta. Às vezes sinto vontade de chorar e ligar no meio da madrugada e dizer tudo o que eu nunca saberei como dizer. Às vezes tenho vontade de desligar o telefone e sumir, desaparecer, até ela sentir minha falta – se é que sentirá.

Mas hoje, não.

Hoje eu só estou triste e seca por dentro. Meus cabelos estão molhados e minhas roupas têm cheiro de saudade. Aquela certeza de que o dia nasceria cinza já se tornou um fato.

Uma quarta-feira cinza pra mim, para purificar meu corpo do pecado de não saber... Não saber... Não sei.

9 comentários:

Rhaissa disse...

CARAMBA CAMILA.

O que te dizer? Te dizer que você é uma de minhas melhores conselheiras mesmo sem me aconselhar diretamente? Dizer que é lendo seus textos que eu tomo minhas melhores (e as vezes piores) atitudes? Dizer que você me LÊ sem me conhecer...
Caramba Camila, tenho que dizer OBRIGADA, e parabéns.


E se seu dia tá cinza... tanto quanto o meu, deixa ele passar. Só deixa ele passar...



Te amo, e que não venham com "mas você nem conhece ela", se teus textos forem do peito, como acho que são, te conheço muito bem e somos muito parecidas...


Beijos Ca. Marry me LOL

EmileJ disse...

AAAAAAAAAAI
essa branquinha joga duro!
MUITOOOOO bom em!

Isabelle.C disse...

MUITO BOM MESMO

Ðєββyŋнα ɢσмєs disse...

nossa incrivel

Andréia Regina. disse...

Ah gosteii gosteeii xD
--> seguindo.
Parabéns !
vou ali ler o resto :)

bj, att.

http://parfaitdintensit.blogspot.com/

Rony disse...

gostei muito, acho que todos nos precisamos de alguma forma de pelo menos uma quarta-feira triste,acho que ajuda.

Amanda disse...

você me fala sobre densidade, que ama densidade e que eu sou densa.
mais densa é você.
li seu texto e me ar ficou pesado, rarefeito.
por mais que eu conheça as palavras, eu não as uso como você. eu brinco com palavras, não as uso para descrever exatamente o que estou sentindo, eu as uso repletas de eufenismo.
sua densidade é tão densa que me tira o ar, a forma como você usa as palavras, me tira o ar.
eu sei, sempre sei porque você sempre sabe me tocar.
eu sei como você se sente, porque eu me sinto assim também.
só espero que tudo fique bem no final.
te amo!

Malu Paixão disse...

sempre louca. quanto mais sentimental e insana melhor. adoro vc camiii, minha ÍDALA. haha
bjãoo

Mateus Bonez disse...

Saudades amiga blogueeeira!
Passei pra dizer q to sempre on nos blogs mesmo deixando em off meus comentários, sempre passo aqui ler suas loucas histórias q eu adoroo!

Beeijao!
http://tiomah.blogspot.com