sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Wonderland?

Se eu estivesse lá, no País das Maravilhas, eu matava o Coelho e ainda pedia o Chapeleiro Louco em casamento.
Seguia qualquer caminho para chegar a qualquer lugar sem problema algum; fones nos ouvidos e pé na estrada, não é?
Cigarros e bebidas resolvem muita coisa, queridos. Alice faria tudo por um pouco disso - tenho certeza. Alice mataria o coelho, se pudesse, se não tivesse de ser Alice perdida no País das Maravilhas.
Nós mataríamos; juntas.
E não é nada contra o bicho, não. O problema é que ele tem relógio e pressa, e todos nós sabemos que pressa e relógio não são confiáveis, não é?
Não?
Ta; não importa.
To meio perdida aqui.
Querendo voltar para casa só para fugir de lá.
Querendo aparecer só para dizer que estou indo embora.
Querendo atender ao telefone para dizer que não estou; e nem vou estar.
Loucamente perdida.
Malucamente. Doidamente. Perdidamente.

Volto daqui alguns dias ou horas ou qualquer coisa.
E se o Chapeleiro disser sim, volto casada.

4 comentários:

Amanda disse...

Dá vontade de fugir, eu sei. Dá vontade de jogar tudo por alto e se perder de propósito. Andar por um caminho que você não conhece, sem olhar pra trás ou tentar decorar as esquinas. Apenas seguir em frente e não precisar pensar em nada. Perder-se por vontade própria. Pelo menos eu sou assim, e você?

mille. disse...

ADOREIIIIIII ESSA MISTURAA COM a historia da alice. Parabéns, vc escreve muito bem. É gostoso ler seus textos :D

gerson oliveira disse...

Quanta intensidade. *-*
Alice é uma drogadinha, você sabe disso, a mina vê coelhos pirados, gatos muito loco. Eu fiquei em choque quando vi pela primeira vez, Alice é uma paty numa rave. hahahhaha

E pensar no tempo é uma perdição.


beijo

Rhaissa disse...

Alice é uma paty numa rave +1
Gostei do texto :)
Er, ta sendo dificil aqui em casa, muitos problemas, então posso sumir ou demorar pra vir comentar, mas sempre leio os textos, todos, espero que saiba :D

Beijos