quinta-feira, 16 de julho de 2009

introspecção

Com a mão na boca Ele reza baixinho, pedindo pra que Deus acabe de uma vez com a angustia. Prende as palavras com a mão. Fala e pede; reza. Sabendo que o fim será apenas o recomeço. Sabendo que o ciclo não para nunca. Nada para. A vida continua. Mesmo com esse corte fundo enfeitando sua pele. Mesmo com a ausência dançando balé na sala de estar. Tudo continua como sempre foi. Os carros correm sem parar. As pessoas vêm e vão pelas mesmas ruas. Brincam. Choram. Riem. Só Ele grita. Só Ele sofre.
Só.
Sozinho.


"Repito sempre: sossega, sossega - o amor não é para o teu bico"

8 comentários:

Amanda disse...

"Repito sempre: sossega, sossega - o amor não é para o teu bico"


Parece que quanto mais repitimos isso para nós mesmo, mais próximos do amor nos encontramos. Ele teima em não largar do nosso pé.

Dica disse...

Nosso sofrimento é sempre pior, mais forte, mais fundo, mais incurável e eterno.

David disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anna disse...

Fico feliz por ter tido a oportunidade de conhecer a beleza de teus textos.

No fundo, todos nós estamos sós, tão sós, gritando por algo..o que acontece é que de vez em quando alguém escuta e as "solidões" se unem e as "esquisites" se aliam..e se formam os laços..humanos..

mille. disse...

"Repito sempre: sossega, sossega - o amor não é para o teu bico"

o amor é pra todos, espera que sua hora chega, a solidão passará

Eu, Thiago Assis disse...

A vida sempre continua, sem semáforos.
O rio segue independente do que pensam os peixes..

"Em algum lugar, longe daqui, alguem pensa como eu" ... mais alguem deve sofrer como ele.

sozinho, mas não único.

Sidnei disse...

Sofrer só não é uma escolha de um sábio e sim o caminho mais fácil para um tolo!

Eduardo Martins disse...

E se ao invés de corte, o adorno fosse um círculo de aproximadamente 9 mm na têmpora, ele sofreria? Claro que sim! Pois, "sabendo que o fim será apenas o recomeço. Sabendo que o ciclo não para nunca. Nada para. A vida continua..."
bjo