segunda-feira, 26 de março de 2012

Além...

E se eu te dissesse que tudo não passou de um sonho e que eu havia moldado todas as palavras antes de enfiá-las na boca e calá-las para sempre?

Gritei, dentro de mim, espantando todos os fantasmas dos meus sentimentos mortos, enquanto você dormia.

Pintei todas as cores dos nossos olhos e desenhei cada linha do seu corpo com uma minuciosidade desigual, calei a noite e despertei o dia, percorri as estradas da ilusão plantando semente de nós dois, enquanto você dormia.

Conheci rostos e gostos gastos, sapatos gastos, vidas gastas.

Dancei valsa com a saudade, morri e renasci três vezes ao dia, me encontrei no desconhecido, enquanto você dormia.

Se eu te dissesse que tudo não passou de um sonho, você acreditaria?

Talvez tenha sido um pesadelo, loucura talvez.

Ando tão descrente, amor.

Mãos cansadas, pés descalços, coração na boca ou no bolso – não sei.

Ando e procuro em cada passo uma resposta, uma denúncia, um sopro do que ficou. Conto e reconto e desconto tudo e nada, um passo a frente e um litro de alma se esvai.

Sem alma, sem rosto, sem nome, amor.

O seu gosto já está gasto em minha boca.

E se eu te dissesse que nunca houve sonho algum?

Sonhos não existem, amor.

Nós não existimos; nem você, nem eu.


Veja mais em: http://arlequim-incognita.blogspot.com.br/2012/03/revista-iii-quarta-edicao.html

ACOMPANHEM O BLOG DA REVISTA III: http://revistaiii.blogspot.com.br/


5 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Mila,

O que não é eterno, não existe. Só o que é eterno existe. Pare, e pense para ver se estou certo.

=)
Marcos

Marcos Satoru Kawanami disse...

Mila,

O que eu escrevi não foi crítica, foi um elogio.

BjóKawanami

Alice disse...

Tenho medo de que estes meus sonhos com o meu amado nao passem de fruto da minha imaginacao e que um dia eu irei perceber que nao ha nos :(

Rhaissa Ramon disse...

"Dancei valsa com a saudade, morri e renasci três vezes ao dia, me encontrei no desconhecido, enquanto você dormia."
Que lindo, Camila!
Você desapegou tanto do blog(digo, você posta com menos frequencia agora, por causa de projetos paralelos), que eu até esqueci de vir aqui conferir se tinha coisa nova! Ainda bem que você postou no fb sobre o blog, vim correndo matar a saudade! kk
Lindo e confuso, o texto. Prova de que você continua tão complexa(como escritora) quanto sempre foi! HASUDHASD

Parabéns! Essência é tudoooooo!

Mariana Pimentel. disse...

Esse final foi tudo. Desfechos secos me deixam pensante. Esse não foi diferente. Gostei muito...