quarta-feira, 28 de julho de 2010

A caixa

Eu tenho uma caixa. Não, não é uma caixinha de musica, nem uma caixa de presente. Nada disso. É simplesmente uma caixa. Uma enorme caixa. Uma linda caixa por assim dizer. Ela está lacrada e lotada. Cheia de coisas que não são minhas, cheia de rascunhos antigos e fotos de pessoas que não conheço. Cheia de coisas do passado, de outra pessoa que não eu. Eu tento todos os dias, incansavelmente, abri-la. Tento colocar coisas novas dentro dela, fazer com que ela se torne minha de vez e que aloje as minhas coisas, as minhas angustias, os meus medos e sentimentos soltos. Mas como eu já disse, ela está lacrada. E está tão cheia, mas tão cheia, que tenho certeza que por mais que eu a abra minhas coisas não serão bem vindas ali. Há coisas demais de outra pessoa, há vida demais dentro dela. E uma vida que não é minha, entende? É nessas horas em que eu me pergunto: o que esta caixa está fazendo em minhas mãos? Eu não sei, mas não consigo soltá-la. Às vezes eu a ouço dizer, sem palavras, que é isso que ela quer, que quer que eu a solte de vez, que eu a entregue para seu antigo dono e que só ele sabe como cuidar, como abrir, como guardar suas coisas ali dentro. Ele, sim, sabe tudo e eu, eu nada sei. Tenho medo de desistir, tenho medo de soltá-la no meio do caminho. Tenho um medo enorme de realmente nunca saber.

5 comentários:

Anônimo disse...

Vc deveria parar com certos "achismos",eles tb ajudam a desgastar as coisas.

Mariana Pimentel. disse...

Eu também tenho uma caixa em mãos. Meu medo é abri-la, mostrar coisas minhas que guardo nela e, no fim das contas, não saber fecha-la mais. Não sou boa de dar laço...rs./ Gosto daqui! :)

Amanda disse...

Às vezes não é força, é jeito.
Mas se a caixa não quiser abrir pra você, deixa-a no canto, de lado e quando você esquecer dela, quem sabe ela se mostre.

Anônimo disse...

Eu gosto muito de vc!!!!
"O amor só é amor, se não se dobra a obstáculos e não se curva à vicissitudes... é uma marca eterna... que sofre tempestades sem nunca se abalar."
"Quando a boca não consegue dizer o que o coração sente o melhor é deixar a boca sentir o que o coração diz."
"o tempo que temos, se estamos atentos, será sempre exato."

Juca disse...

E são assim mesmo os corações...